Faça seu seguro Viagem!

Seguro viagem geral 240x400

Você poderá fazer seu seguro antes de viajar todo pela internet. Orçamento, pagamento e recebimento do comprovante. Os agentes da Real seguro vão tirar todas as suas dúvidas através de e-mail ou chat ao vivo.

Você conhece os benefícios de ser um cliente Real? Confira!

• A agência é especialista em assistência para viagem e presta suporte gratuito desde a contratação até o término do guia do seguro viagem, através de diversos canais.
• Você pode comparar os planos das principais seguradoras e contratar seu preferido sem precisar visitar vários sites.
• Seu guia do seguro viagem estará disponível online logo após a confirmação do pagamento.
• Um seguro viagem evita gastos elevados com imprevistos hospitalares e oferece atendimento 24/7 em suas centrais internacionais.

Seguro viagem geral 728x90

Anúncios

Museu da Yamaha

DSC00058

Na verdade o museu da Yamaha se chama “Communication Plaza” . Fica localizado na sede da empresa na cidade de Iwata.

O museu é bem legal, tem todas as motos e vários veículos que ela produz, de cadeiras de rodas a lanchas e inclusive motores de carros.

A entrada é gratuita e fica aberto de segunda a sexta apenas, das 9:00 as 17:00hs. Sábados, abre uma semana sim e outra não e domingos é sempre fechado. Conferir o calendário Aqui!

Y1

O museu possui 3 andares. O primeiro andar com os modelos mais modernos e o segundo andar conta a história da Yamaha motors. O terceiro andar é apena uma cafeteria.

Y2

Há um modelo do Lexus LFA, carro feito em série especial, apenas 500 unidades e o motor foi feito pela Yamaha.

lfa

No museu você pode experimentar um simulador.

DSC00011

A Yamaha motors se iniciou em 1955 produzindo sua primeira moto na cidade de Hamakita que hoje se tornou parte de Hamamatsu.

DSC00031
A primeira moto da Yamaha.

Como chegar.

Communication Plaza
2500 Shingai, Iwata-shi, Shizuoka, Japan

access

De onibus:

Numero 25 descer na “Yamaha Hatsudouki” depois caminha por 2 minutos.

Óbidos

DSC02256
Nos muros de óbidos

Óbidos foi uma grande surpresa para nós, nunca havíamos ouvido falar. Nossos amigos nos levaram até lá. Foi uma viagem rápida não era muito longe de onde estávamos. De Lisboa fica apenas a 80 Km.

Óbidos é um vilarejo rodeado por uma grande muralha fudada pelos Celtas em 308 a.C. É possível percorrer sobre seus muros que possui 1,5 Km , mas cuidado pois não há nenhum tipo de grade de segurança ou corrimão.

O vilarejo medieval é pitoresco e é habitada por cerca de 11 mil habitantes. Já foi dominada pelos árabes e em 1148 foi retomada pelos cristãos.

Há vários monumentos, igrejas, lojinhas para visitar. Minha dica é você não deixar de visitar uma livraria toda decorada com caixas de frutas e comer um pão com linguiça artesanal assado no forno a lenha. Óbidos também é conhecida pela famosa Ginginha ou Ginja, um licor feito da fruta ginja um tipo de cereja e é bebido em pequenos copos feitos de chocolate. é tão bom que compramos uma garrafa e mandamos pelo correio.

obidos

Imperdível!!

O por-do-sol visto de cima dos Muros de Óbidos é algo que você não deve perder as fotos vão dizer por si.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como chegar.

Óbidos goza de uma localização privilegiada estando localizada a cerca de 80 quilómetros a norte de Lisboa.
Por automóvel – Em direcção Lisboa – Leiria, tome a A8 e deixe a auto-estrada na saída 15. O tempo de viagem demora cerca de 40 a 50 minutos.De Santarém tome a Auto-estrada A15.

Do Porto, tome a A1 até Leiria. Em Leiria tome a A8.

Onibus – Em média, um bilhete de autocarro (Lisboa – Óbidos) terá o preço de €8,00. Consulte o seguinte endereço para detalhes e horários:http://www.rodotejo.pt/pesquisa_servicos.php
Trem – Existe paragem de comboio em Óbidos. No entanto, a estação não se encontra no centro da vila, sendo esta afastada do seu centro. Para mais informações relativamente a preços e horários, por favor consulte: www.cp.pt

Táxi
– Uma viagem de táxi (Lisboa – Óbidos) poderá variar em termos de preço. Normalmente, uma viagem poderá custar cerca de €90,00. Em Óbidos, encontra uma praça de táxis junto à Porta da Vila (entrada principal de Óbidos).
Parques de Estacionamento
Chegando a Óbidos, existem Parques de Estacionamento, devidamente assinalados na parte exterior do Centro Histórico. Dois destes Parques são pagos (parques asfaltados junto ao Posto de Turismo). Existe igualmente um Parque adicional para Auto-caravanas (também pago).
A entrada em Óbidos é gratuita.
Página oficial: http://www.obidos.pt/
Calendário de alguns festivais temáticos Link
Lista de monumentos para visitar Link

Vietnã – Ho Chi Minh

Aeroporto de Ho Chi Minh

Quando a gente ouve falar em Vietnam logo lembramos da guerra, e da derrota do EUA , a guerra que acabou em 1975 durou 10 anos e deixou muitas marcas na história, porém hoje o povo fala com orgulho da vitória sobre o país mais poderoso da terra.

Chegando em Ho chi Minh fiquei impressionado com o aeroporto ,muito bonito e novo, aliás ate agora não vimos um aeroporto que fosse mais feio que o nosso de Guarulhos infelizmente.A cidade de Ho Chi Minh é muito parecida com o Brasil as ruas os prédios tudo se parece muito.

Logo na chegada um senhor veio e ofereceu um táxi porém ele não era taxista tava fazendo bico ali, combinamos o preço e fomos para o hotel 15 minutos dali, no centro de Ho Chi Minh.

chegamos tarde era umas 2 da madrugada, como tínhamos apenas 2 dias no Vietnam porque perdemos um dia na china devido a um tufão que passou e nosso voo teve que ser transferido para o outro dia, fui com os passeios já reservados.

Dormimos apenas 3 horas e logo acordamos ,tomamos café no Hotel e fomos para um outro hotel local combinado para pegarmos a Van para irmos ao nosso primeiro passeio, que era explorar o rio Mekong.

Rio Mekong

O rio Mekong é muito importante para o Vietnam e  também um dos mais importante do sudeste asiático, o Rio Mekong além dos peixes para os pescadores é o principal meio de sobrevivência para os sul vietnamitas.

nosso barco

Chegamos no porto e entramos no barco , éramos em 13 turistas de vários países, Costa Rica , Japão, Austrália, EUA, República Tcheca e Brasil é claro, um grupo bem bacana com alguns casais mais idosos super simpáticos.

Subimos rio acima, que começa bem largo e depois entramos em um de seus afluentes aonde começava a se estreitar, antes de entrar floresta adentro a visão não era bonita as casas a beira do rio eram muito pobres, nosso guia um ótimo guia ,gostava de falar e de dar detalhes ,falou que a maioria das pessoas que moravam ali viviam com menos de 50 dólares por mês..

pobreza

Continuamos subindo o rio, e fizemos a primeira parada em uma Pagoda um templo budista  a beira do Rio.

Descemos do barco e fomos conhecer o templo ,havia muitas crianças aprendizes de monges arrecadando as doações já que os monges não compram nada e vivem apenas delas.

Templo
Nosso guia mostrando um ovo de crocodilo

Nossa segunda parada foi uma feira em uma pequena vila , lá nós vimos como era o dia a dia dos vietnamitas , apesar de bem simples havia muitas frutas verduras e peixes frescos, a limpeza não é o forte, aliás no sudeste asiático a higiene praticamente não existe porém a feirinha tinha seu charme com os vendedores super sorridentes, era uma mistura de lojinhas barracas , as motinhos passavam toda hora pelo corredor apertado entre elas, foi divertido e interessante o nosso guia explicava sobre as frutas , ervas da culinária vietnamita, mas oque mais gostei foi o contato com a simplicidade do povo , coisa que a gente perde vivendo no japão.

Simplicdade e felicidade

Lindo sorriso

Continuamos subindo o rio e a medida que subíamos ele continuava estreitando, fizemos mais 2 paradas uma em um pequeno sitio que se fabricava vasos de bonsai e uma parada em uma fazenda para tomarmos uma água de coco ,nessa fazenda uma grande plantação de mandioca me chamou a atenção não sabia que tinha mandioca no Vietnam.Na pequena fazenda tinha uma casa simples mas muito limpa e muto organizada, aliás os vietnamitas mantem suas casas sempre muito limpa, mesmo que o chão seja de terra batida e o telhado de palha por dentro sempre impecável, a família da fazenda nos recebeu carinhosamente ,todos queriam usar o banheiros pois já estávamos navegando a 2 horas, um senhor  nos guiava para dentro da sua casa  nos fazia sentar em banquinho enquanto esperávamos o banheiro desocupar , nisso ele perguntava de onde éramos , eu disse “eu sou do Brasil” e ele dizia: eu sou do Vietnam ! E dava uma baita e gostosa gargalhada,

Simpatia em pessoa.

muita simpatia e simplicidade nos fazia ficar muito a vontade.

Voltamos para o barco, e ainda subindo o rio , nosso guia nos avisa, próxima parada almoço.

Paramos em uma pequena vila novamente , e andamos a pé por algumas quadras, passamos em frente de uma escola e as crianças foram a porta para acenar pra gente ,

paramos em pequeno galpão com as mesas já arrumadas a nossa espera, nos serviram algumas comidas típicas do Vietnam, nos serviram uma sopa , meio adocicado e cítrica ao mesmo tempo ,muito diferente do nosso paladar, arroz , spring roll, frango cozido e um cozido de carne de porco adocicado (não gostei) o último prato uma surpresa ,3 enormes peixes fritos com escamas que estavam ótimos.

Almoço

Aproveitando o momento a mesa o pessoal aproveitou para conversar um pouco, e se conhecer eu me divertia com a conversa dos japoneses tentando falar inglês com a pronuncia que só a gente entende!!rs

Após almoçarmos fomos em um outro templo ,dessa vez uma religião cadeísta, que é uma seita que reúne todas as religiões, o tempo que havia fechado anunciou a chuva , começou uma pequena garoa,  apressamos para chegar no barco. nosso guia começou a distribuir para todos capas de chuva,  começamos a descer o rio para voltarmos para o porto, nossa sorte foi que a chuva veio no fim do passeio , colocamos as capas de chuva, o guia e os 2 tripulantes abriram enormes guarda chuvas na frente para que a chuva não nos molhassem muito, de repente os casais de idosos sentados a nossa frente começaram a rir sem entender ela me chamou e perguntou se queria que ela tirasse uma foto nossa, então descobri que o motivo dos risos eram minha capa de chuva de bolinhas azuis, caímos na gargalhada também.

Minha capa de bolinhas azuis.

Voltamos ao hotel após o passeio e fomos conhecer o Ben Than Market ,um tipo de mercadão municipal que você encontra de tudo, comprei muitas frutas , as frutas do sudeste asiático são deliciosas e super doces e uma variedade incrível ,grande chance de conhecer novos sabores.

Muitas Frutas
Camarões secos
Muitas variedades de doces

Cu Chi Tunnels

Eu estava ansioso para conhecer a região de Cu Chi ,local onde foi a maior resistência do Vietnam na guerra ,pra quem teve a adolescência nos anos 80 e cresceu assistindo os filmes da guerra do Vietnam tem uma certa ideia de como  foi a guerra.

Os EUA com o seu dinheiro, super equipamentos,  helicópteros, tanques ,aviões, toneladas de bombas despejadas ,armas químicas, não conseguiram parar os vietnamitas ,que tinham pouco dinheiro, usavam as bombas que não detonavam lançadas pelos americanos reaproveitavam tudo que podiam, usavam muitas armadilhas convencionais feitas e bambu, mas como foi possível vencer os americanos ,o segredo estava em Cu Chi e muita estratégia militar.

Dentro do túnel

Em Cu Chi foi construída pelos soldados e pela população vietnamita uma rede de túneis que tinham em torno de 250 Km , cavadas em 3 níveis de profundidade, embaixo da terra eles tinham tudo , casa ,escola , hospitais ,sala de reuniões, dormitórios, banheiros ,acredite se quiser ,havia uns sistema de canalização de água através de bambus que vinham do rio Mekong e também sistemas de ventilação que funcionam até hoje.

Guia levando a gente pela primeira parte de túneis.

Hoje uma parte do local se tornou como um museu ao ar livre os túneis foram alargados para que os turistas possam entrar ,mas ainda assim a sensação de falta de ar, de sufoco e mais o calor se tornam desesperador lá dentro.

Os túneis para os turistas tem saída a cada 25 a 30 metros , então se você acha que não aguenta pode sair rápido lá de dentro.

Além dos túneis tem ainda um tanque de guerra que foi abatido por uma mina terrestre e ainda permanece no mesmo local.

Há uma parte que mostra como eram feitas as armadilhas que feriam os soldados americanos, o interessante que as armadilhas não eram para matar, apenas ferir ,porque um soldado ferido precisa de 2 para carregá-lo se tornando um alvo fácil.

As armadilhas

Cozinha construída dentro dos túneis

Também em Cu Chi você pode dar tiros com armas de verdade usadas na guerra, basta comprar as balas no minimo 10 o preço varia conforme o calibre mas em média sai 1500 ienes, o som dos tiros podem ser ouvidos por toda a área aumentando a imaginação de como seria em dias de guerra.

Catedral ,arquitetura francesa

 Outros bons lugares pra conhecer,  a catedral que é uma construção francesa , construída na época do domínio francês.

O Correio central também construção francesa.

E o museu da guerra, que conta como foi a guerra e os crimes de guerra praticado pelo EUA umas das mais terríveis foi  o ataque com armas químicas,  veneno que além de matar deforma o feto das mulheres grávidas, algo realmente chocante.E o palácio da reunificação ,foi o palácio onde o governo americano comandava todas as suas ações na guerra, palácio que foi destruído pelos vietnamitas do Norte sendo o marco da vitória sobre os americanos ,o palácio foi reconstruído e hoje é um museu.

Agente Laranja

Por dentro do museu.

Correio central ,linda arquitetura francesa.
Palácio da reunificação

Shirakawa-go

Patrimônio da UNESCO desde 1995. Shirakawa-go é uma viagem ao Japão milenar. Hoje no Japão com a modernização é quase impossível encontrar algo que resistiu as mudanças do terceiro país mais rico do mundo. Mas Shirakawa-go consegue mesmo nos dias de hoje manter o charme de um vilarejo pitoresco em meio as montanhas. Apesar de ser já muito turístico oque perde muitas as vezes a originalidade, ela consegue manter bem preservada sua cultura.

Shirakawa-go era na antiguidade isolada pelas montanhas, mas hoje ela é ligada por túnel de 10 km um dos mais longos do Japão. As casas de Shirakawa-go conhecidas como Minka, que significa “casa de pessoas” são conhecidas pelo estilo Gassho. O estilo Gassho foram desenvolvidas para aguentar a grande quantidades de neve, possuem o telhado feitos de palha e tem o formato de duas mãos juntas em oração.

Shirakawa-go é dividida em duas partes, a parte nova que é uma cidade normal e o vilarejo histórico. O vilarejo conta com 114 casas no estilo Gassho.

Open Air Museum

Um rio divide o vilarejo no meio de uma lado fica o Open Air Museum(museu a céu aberto)e o estacionamento principal, e do outro lado do rio o vilarejo verdadeiro. O museu a céu aberto apesar de ser bem turístico e não ser “original” pois as casas foram relocadas de outros pontos e montadas no museu, é muito bonito, várias casas são abertas para entrar e cada uma tem sua história. Vá preparado para tirar os sapatos pra entrar nas casas.

A entrada custa 600 Ienes para adultos e fica aberto das 9:00 ás 17:00 hs, no inverno somente até as 16:00 hs.

oam

Atravessando uma ponte suspensa, do outro lado do rio está o verdadeiro vilarejo onde você encontrará casas Minka, muitas delas ainda com residentes e por ser propriedade particular cuidado com a entrada indevida, respeite os moradores. Mas existem outras que foram transformadas em pequenos museus, você pode entrar nelas ver como era a vida dos antigos moradores, a maioria paga-se 300 ienes para a entrar.(É preciso tirar o sapatos)

DSC00143
Ponte suspensa

 

Wada House

Nós entramos apenas em uma a mais conhecida e uma das mais importantes famílias de Shirakawago, a casa da família WADA. A casa tem mais de 200 ano, dentro dela era criadas os bichos da seda para a produção de tecidos.

Wada

Entrada 300 ienes. Aberto das 9:00 ás 17:00 hs

Outras casas importantes:

Nagase House: Uma casa de uma família de médicos cuja as gerações de médicos ainda se mantem por mais de 250 anos. é possível encontrar na casa instrumentos médicos antigos.

Kanda House: Também pertenceu a família Wada e era produzido saquê nessa casa.]

Há outros pequenos museus que você pode visitar como: Doburoku Matsuri Festival Hall(fechado de Dezembro a Março), conta sobre o Matsuri e você pode experimentar de graça amostras de saquê.

Zin HOMURA Art Museum: Casa do Homura, artista que viveu lá e usava a casa para pintar suas telas.

Por ser uma vila de fazendeiros e artesãos algo bem legal lá é que nas lojas tem muitos produtos locais desde bebidas, comidas e artesanatos. Em shirakawago é produzido alguns tipos de saquês e vinhos, também o sobá(macarrão) alguns doces e biscoitos de arroz(sembês).  As lojinhas são todas charmosas e tradicionais.

lojinhas

As fotos mais famosas de Shirakawago são tiradas de cima do mirante que fica subindo um pequena estrada morro acima, uns 10 minutos de caminhada. Essa estrada pode ser fechada com neves muito intensas no inverno, algumas partes ficam bem escorregadias então tome cuidado. Mas a vista é daqueles que você quer ficar sentado só admirando.

IMG_5391
subindo para o mirante
DSC00181
Vista panorâmica do mirante

Um lugar imperdível para se fotografar são as 3 casas que ficam no final da rua principal. No evento de iluminação de inverno um lugar para fotografar é bem disputado.

DSC00260

Light’s Up(iluminação de inverno)

Um do eventos mais procurados do ano. Realmente lindo. Começa as 17:00hs e vai até as 19:00 hs. Acontece nos meses de dezembro e janeiro normalmente aos fins de semana é preciso ver p calendário no site http://lightup.asia/schedule/

O ponto ruim, fica muito lotado. Pra tirar foto do mirante e ter a foto da vila inteira iluminada é preciso chegar bem de manhã cedo e deixar armado seu tripé lá reservando lugar, depois chegar umas 15:00 hs e ficar esperando anoitecer. Nós desistimos de subir pois a fila tinha mais de cem pessoas na espera. É bem organizado o staff faz descer uma galera depois libera pra subir um grupo e assim por diante. Uma amiga que subiu disse que lá encima é muito bagunçado tem que ter paciência. Então aproveitamos para ficar andando pelas casas.

A neve no inverno deixa a paisagem toda fantástica, mas é difícil acertar o tempo pois muda muito rápido, na volta pegamos uma nevasca e no ano anterior tentamos ir mas tinha nevado tanto que os trens foram interrompidos, tem que ficar de olho na previsão.

light
Fantástico

Uma dica pra quem vai no inverno, levar os ice spikes para não escorregar e botas de trekking ou botas impermeáveis. Pra quem não sabe como são os ices spikes link.

Como chegar:

map_en20150311

Tem ônibus que saem de Tokio e Nagoya e vão até Takayama de lá é preciso pegar outro onibus que vai até Shirakawago(50 min.), de Nagoya possuem onibus direto.

Nagoya——-Takayama 2hrs.(trem)

Tabela de horário de Takayama á Shirakawago. Horários.

É bom fazer reserva com antecedência:

Nohi Bus Reservation Center(Tokio e Nagoya)

TEL (0577) 32-1688
9:00~18:00

Meitetsu Bus Center

TEL(052)582-0489
8:00~19:00

JR Tokai Bus Nagoya Eki

TEL(052)563-0489

Pra quem vai de carro tem dois estacionamentos. Se você for para o Light’s Up vá direto para o estacionamento encima da montanha porque o estacionamento principal(SESERAGI PARKING) é permitido carro até as 15:00 hs somente, depois você terá que levar seu carro para outro estacionamento e pagar novamente(500 ienes o dia).

Para chegar lá. Depois que sair da auto estrada e passar pelo pedágio pegue a direita e siga em frente, depois que passar pelo posto de gasolina e a loja de Conveniência pegue a direita no primeiro sinal, vai passar por um túnel, após o túnel o principal estacionamento fica a esquerda e pro estacionamento da montanha a direita.

Nos dias de evento vários micro onibus fazem o transporte dos estacionamento até a vila.

lINK PARA O MAPA EM INGLÊS: http://www.shirakawa-go.gr.jp/othercontents/file/pdf/201510_map_english1.pdf

 

Onde se hospedar:

A grande maioria se hospeda em Takayama por encontrar opções mais baratas já que a cidade é maior e tem mais opções.

Mas se você quiser ter a experiencia em dormir em uma Minka, tem várias casas que foram transformadas em Guests Houses a média de preço é de 10.000 ienes por pessoa em dias de eventos. Segue o link das hospedagens disponíveis com telefones para resrva. http://www.shirakawa-go.gr.jp/search/?m=1

Iremos voltar pra lá com certeza, Shirakawago se tornou nosso lugar favorito no Japão. Queremos ve-la em outras estações do ano agora e um dia dormir numa Minka!!

 

 

 

Yokohama Port

Há muitos parques para caminhar a beira do mar. A vista é maravilhosa principalmente a noite. O porto de Yokohama é um lugar fantástico para muitas horas de caminhada tranquila.

porto

Fomos conhecer por curisiodade o museu do Cup Noodle, e foi super divertido. A entrada custa apenas 500 ienes e se você quiser fazer seu próprio cup Lamen custa mais 300 ienes que você paga na hora de comprar o copo do Lamen.No ´ltimo andar tem vende vários noodles de vários lugares do mundo para você experimentar. Custa em media 200 a 300 ienes e as porções são pequenas. Eu gostei muito do macarrão do Cazaquistão.
http://www.cupnoodles-museum.jp/english/

cup

Visitamos a China town. Eu gostei muito de lá apesar da muvuca. A sensação é de você estar realmente andando por ruas chinesas. ótimo lugar para comer comida chinesa. Tem lojas e comidas de vários lugares da China inclusive Pastéis de nata de Macau. Na China Town tem um templo chinês muito bonito, vale uma visita.FotorCreatedchina

La tem 2 prédios que eram antigos depósitos e hoje tem várias lojinhas e restaurante lá dentro. Foram construídos em 1911. São chamadas de Akarenga ou Red Bricks Warehouse. http://www.yokohama-akarenga.jp/en/

 

 

 

O terminal de Yokohama tem uma arquitetura fantástica e te dá umas das melhores vistas de todo o porto. Detalhe na estrutura toda feita com madeira do Brasil.

 

Se vocês quiserem ter uma vista do alto dá pra subir no Yokahama tower ou no prédio Yokohama Landmark Tower.

Lá tem vários museus que você pode visitar, vou listar alguns:

-Kanagawa Museu da literatura moderna. http://www.kanabun.or.jp/

-Museu Yokohama

-Mitsubishi Minatomirai Industrial Museum

-HARA Model Railway Museum http://www.hara-mrm.com/english/guide02/index.html

-Sogo Museum Of Art

-Yokohama Doll Museum(Museu de bonecas)  http://www.doll-museum.jp/

-NYK  Maritime Museum

Shoppings:

-Queen’s Square

-Yokohama World Porters

Pra quem for de carro, uma dica para estacionar é em um estacionamento aberto entre o Wolrd Porters e o Akarenga. Custa 2000 ienes o dia , até meia noite.

Pra chegar de trem a linha é a Negishi Line , estação de Sakuragicho

 

 

A vista a noite é Fantástica, pra não dizer apaixonante!!

DSC00092

DSC00086DSC00100

 

Meteora

DCIM100GOPROG0112084.
Meteora

Meteora parece um lugar saído de um filme de fantasia. Foi nosso lugar favorito na Grécia.

Metéora (em grego: Μετέωρα, “meio do céu”) é um dos maiores e mais importantes complexos de mosteiros do Cristianismo Oriental, superado apenas pelo Monte Atos[1] . Os seis mosteiros foram construídos sobre pilares de rocha de arenito, na região noroeste da planície da Tessália, próximo ao rio Peneu e às montanhas Pindo, na Grécia central. A cidade mais próxima é Kalabáka.O maior pico em que se localiza um mosteiro tem 549 metros. O menor, 305 metros.(Wikipedia)

As cidades para se hospedar em Meteora são Kastraki e Kalambaka. Kastraki é um pequeno vilarejo e Kalambaka um pouco maior e onde se concentra o comercio. Recomendo Kalambaka pois é a cidade que fica a estação de trem e onde você encontra restaurantes e mercados.

Chegamos em Kalambaka vindo de Girokastra levamos 7 horas e custou apenas 20,00 dólares.

Ficamos hospedados no Hotel Aeolic Star. Excelente localização e bem perto da estação de trem. E uma café da manhã delicioso

meteora

O complexo de Mosteiros de Meteora possui 6 mosteiros.

  • Megalo, Varlaam, Agios Nikolaos Anapafsas, Roussanou, Agiatrias e Agios Stefanos.

De Kalambaka até o Mosteiro de Megalo, que é o maior e o mais alto fica a 7 km . Todos os mosteiros podem serem feitos a pé se você tiver disposição para andar, mas você pode ir de táxi até o mosteiro Megalo e depois fazer a região a pé. Peça um mapa no seu hotel.

Fomos logo bem cedo, como estava chuviscando pegamos um táxi até o mosteiro Megalo(no inverno não tem ônibus). Quando chegamos lá uma forte neblina passava entre os mosteiros deixando um ar todo místico. De lá seguimos a estrada até o mosteiro de Agios  Stefanos que fica do outro lado do vale. O tempo foi abrindo e mostrando a verdadeira paisagem do Vale de Meteora. Voltamos andando e descemos estrada abaixo pelo caminho que passa por Kastraki e seguimos até Kalambaka tudo a pé. Impossível não se apaixonar por esse lugar.

DSC00109

A paisagem é fantástica pois os mosteiros ficam em um vale  e foram  construídos no topo dos rochedos de Arenito. Na antiguidade eles eram isolados de acesso pra se protegerem de ataque e os monges eram içados por cordas até o topo. Hoje você já pode visitar os mosteiros e acessar por pontes que foram construídas.

Nós visitamos apenas um mosteiro, o Varlaam. Lá dentro é possível ver por dentro da igreja que são ortodoxas, ver também os cestos nas quais eles içavam os monges. Acho que vale apena entrar em um, mas não sei se vale apena entrar em outros pois a visita é meio restrita há muitos lugares que não são permitidos entrar.

Outra dica, se você for com mais dias disponíveis, há muitas trilhas por meio do vale de Meteora para explorar.

Na cidade de Kalambaka tem algumas igrejas ortodoxas interessantes que você pode visitar. Sem contar que a cidade fica a beira dos paredões de arenito, uma paisagem fantástica.Michelle 1402

Michelle 1399

De Kalambaka para Atenas( estação Larissa) fomos de trem a viagem é curta apenas 5:00 hs e custa 18,30 Euros.(2015).

Albânia

DSC00009

O país mais hospitaleiro que passamos. Um dos países mais pobre da Europa. Saímos da Itália e num voo rápido de uma horinha e aterrizamos em Tirana, capital da Albânia. O hotel nos ofereceu para  nos buscar no aeroporto. Chegamos lá e não havia ninguém a nossa espera. Ficamos esperando e depois de 30 minutos um senhor simpatissísimo  com uma plaquinha veio ao nosso encontro, ele mancava e numa mercedes  dos anos 80 nos levou até o hotel. O senhorzinho era o pai da família dona do hotel, não falava nada em inglês, apenas “thank you” e toda vez que falava eu respondia em Albanês “faleminderit” e dávamos uma gargalhada gostosa como velhos amigos.

Nos hospedamos no Hotel London, um hotelzinho simples de uma família super amigável. ótima localização. Tomávamos café em um pequeno restaurante perto do hotel pois o hotel não havia. Um restaurantezinho que eles nos apresentaram aonde os garçons falam inglês, e logo fizemos amizade com um garçom que tinha nome de brasileiro.rs

Tirana não é uma cidade com muitas atrações, aliás a Albânia não é um grande pólo turístico. São uns poucos mochileiros que vão para lá, e a grande maioria como nós, curiosos. As cidades mais turísticas são as litorâneas que ficam cheias de italianos no verão, pois a Albânia é bem mais barata que a Itália.

FotorCreated

Oque faz da Albânia atraente aos mochileiros? É que foi uma país dominado por um ditador por muitos anos após a segunda guerra mundial e o país ficou completamente fechado. Ainda hoje não existe Macdonalds ou Starbucks ou qualquer rede estrangeira, tornando ainda mais interessante. Outra curiosidade é que a Albânia é um país muçulmano, sim, um país muçulmano no meio da Europa. é bem interessante pois estamos acostumados em ver muçulmanos com a fisionomia árabe, ms na Albânia você vê muitas mulheres loiras de olhos azuis coberto com  o Hijab(lenço). Apesar do ditador ter reprimidos todas as religiões eles ainda preservar a religião de uma maneira bem mais moderada, as vezes você nem percebe que são muçulmanos.

Oque fazer em Tirana?

Museu de história nacional.

Museu bacana. Conta a história da Albânia, do período da segunda guerra mundial e do período da ditadura.

DSC00011

Et’hem Bey Mosquee a clock Tower.

Uma mesquita do século 18 e junto a Mesquita esta a torre do relógio. Tudo fica na Skanderberg square no centro.

DSC00007

A montanha Dajti.

A montanha mais alta e Tirana. É possível subir de teleférico, a vista lá de cima é bem bacana e além da vista você encontra alguns dos mais de 700 mil bunkers mandado construir pelo ditador locão.

DSC00032

Tem outros lugares bacanas para visitar, mas como ficamos apenas dois dias e o segundo dia choveu não fomos, mas andamos bastante pela cidade que foi bem legal. Os prédios coloridos da época comunista, os mercedz antigos rodando pela cidade te fazem sentir completamente fora da Europa.

Perto do nosso hotel tinha uma pequena praça com uma feira com muitas frutas, azeitonas deliciosas e muito barata, muitas frutas cristalizadas e castanhas. E foi nessa pracinha que decidimos almoçar e ao invés de ir naquele restaurante para turistas onde tomamos café da manhã, encontramos um pequenos restaurante na praça daqueles com quatro mesas bem simples. Nos sentamos e fomos atendidos por uma senhora muito simpática mas desesperada porque não falava inglês. Pedi o menu mas não tinha. Ela nos levou lá fora na calçada e nos mostrou o letreiro, mas não ajudou não entendíamos nada. Graças a umas fotos encima da porta conseguimos escolher algo para comer, pedimos queijo com batata frita e um tipo de hambúrguer com arroz, tudo delicioso. O engraçado é que era um restaurante familiar e enquanto comíamos eles nos espiavam pelo vidro da porta para ver se estávamos gostando. Quando dissemos que estava delicioso, recebemos um grande sorriso, foi como se tivéssemos tirado um peso das costas deles. Um momento inesquecível.

a1

De Tirana fomos para Girokastra de onibus. Os tickets podem ser comprados em alguma agência na rua Rruga e Kavajes. A viagem durou 6 horas(o onibus quebrou no caminho) e custou 1000 Lekes.

Girokastra

No caminho até Girokastra, vimos pela janelas muitos bunkers em meio as plantações e encima de morros, uma sensação indescritível. Chegamos em Girokastra a noite e com chuva. O onibus nos largou na estrada ao lado de um ponto de táxi. Pegamos o táxi até o nosso hotel, ficamos na parte antiga de Girokastra perto do castelo. Estávamos exaustos mas na manhã do dia seguinte acordamos e quando abrimos a janela a grande surpresa, Girokastra fica no meio de um vale lindo, as montanhas coberta de neve formavam uma paisagem de tirar o folego.

O hotel que ficamos foi o Hotel Girokastra, fica aos pés do castelo e tem uma visão fantástica. A família que cuida do hotel é pura simpatia. Recomendamos.

10945708_10153057724958894_902372131281642669_n

Abro a janela do quarto e me deparo com esse cenário…

Girokastra é pequena mas cheio de história. Cidade onde nasceu o ditador Enver Hoxha’s e a casa que ele nasceu hoje virou um museu. A parte antiga da cidade debaixo do castelo é repleto de casas da época do império otomano, lindíssimas, feitas de pedras e cheio de janelas de madeira. O povo de Girokastra foram os mais hospitaleiros em quase toda a nossa viagem.

11

O Castelo de Girokastra.

Simplesmente é o meu favorito. De todos os que já visitei é oque mais gosto, porque muitos castelos fora restaurados demais e ficaram extremamente turísticos com restaurantes dentro e lojas perdendo todo o brilho de te transportar a tempos antigos. Mas o de Girokastra está praticamente rústico, muitos lugares nos castelo estão sem restauração, tem muitos alas em que você pode entrar e estão vazias.

E foi nesse castelo que  recebemos uma grande prova de hospitalidade. Fomos pagar para ver o pequeno museu que tem dentro do castelo mas não estava com dinheiro suficiente e mesmo assim a mulher responsável nos deixou entrar.

Dentro do castelo ainda tem muitos canhões da segunda guerra mundial e uma prisão que virou um museu que era onde o ditador prendia os presos políticos.

12

Nós fomos almoçar num pequeno restaurante em uma das ruas de pedras perto do hotel. Era só uma portinha e dentro três mesas, uma simpática senhora nos atendeu e começou a nos recomendar as comidas mais tradicionais. Comemos gostoso e na hora de embora um senhor que estava na porta nos parou perguntou de onde éramos e se apresentou como sendo o dono e chef do restaurante, a senhora era sua esposa. Ele cuidava do restaurante a noite e ela de dia. O chef nos convidou para voltarmos a noite para tomarmos um café com ele. Eu e a Michelle ficamos na dúvida se era um convite mesmo. Mas decidimos arriscar e voltar. E para nossa surpresa ela já nos esperava, nos serviu café e o Raki bebida destilada bem comum nos balkans feita de frutas, feita por ele mesmo. Ele sentou a mesa conosco e passamos algumas horas batendo papo, foi um momento mágico, conversamos muito sobre a Albânia. No final ele foi tão hospitaleiro que dei um camisa da seleção brasileira pra ele. Fomos buscar a camisa no hotel e pedimos para eles esperar e quando voltamos ele nos esperava com um buquê de ervas de chá, muito tradicional na Albânia, carreguei o chá por quase três meses na mochila!rs

Michelle 1383

Outro acontecido, foi quando fomos comprar umas bananas em uma mercearia. Quando abro a carteira só havia umas moedas, a atendente pediu as moedas e disse que estava tudo bem que eu podia leva-las.

Assim foram nossos dias na pequena Girokastra. um lugar que deixou muita saudade. Andar pelas ruas de pedra da cidade, o povo hospitaleiro, tudo muito especial.

Mt. Horaiji

O Mt. Horaiji fica no distrito de Horai na região de Shinshiro Aichi-ken.

Há várias trilhas na região de Shinshiro, mas escolhi a de Horai por causa do templo que é datado como fundação no ano de 703 D.C.

A trilha começa com a escadaria que leva até o templo, prepare as pernas, são 1452 degraus de pedra aproximadamente. A escadaria é toda de pedra, alguns pontos tem paredões também feita com pedras, lembra muito as paredes de castelos.

FotorCreated

Depois de subir “alguns degraus” você chegará ao templo de Horaiji, mas para fazer a trilha deve seguir as escadas a esquerda pois você sairá do outro lado do santuário. A trilha faz um circulo.

O topo do Horaiji não é tão alto, possui apenas 684 metros. Mas o legal dela não é topo e sim passar pelo templo e a paisagem vista de alguns pontos no alto do monte sobre o paredão de rocha.  A paisagem é bem bonita apesar de não ser um monte tão alto.

Tem alguns rochedos que dá pra sentar e admirar a vista.

horaiji

O nível de dificuldade é médio, nível 3 de uma escala de 1 a 5. Pode ser feita de 4 a 5 hs. Bom pra um final de semana.

Como chegar: Ponto de inicio fica perto do museu de Horaijinsan Nature Science Museum. Tem uma parada perto onde você pode estacionar o carro e subindo ainda tem o estacionamento do museu e mais um pequeno estacionamento já perto da escada onde começa a subida. Tel.Navi. 0536-35-1001

Nível de dificuldade: 3(médio)

Duração estimada: 4 a 5 horas

Percurso: 9 km

Mapa da trilha: mapa em PDF

IMG_4741

Macau

Seguro viagem geral 728x90
Saindo de Hong Kong em apenas 1 hora de viagem chegamos em Macau. é incrível como o mesmo país muda totalmente suas características apesar de ser tão perto. Macau foi dominada pelos portugueses por 400 anos. Hoje apesar de praticamente ninguém falar em português quase tudo lá ainda permanece escrito nas duas línguas, placas com nomes de ruas, lojas, escolas, no museu todas as iformações estão em cantonês e português também. Oque torna uma viagem muito interessante para nós brasileiros.

A moeda usada em Macau é a Pataca, mas não é necessário trocar pois eles aceitam o HK dólar também.

Assim como Hong Kong brasileiros não precisam de visto, e você receberá um papel com a validação de entrada no país.

Michelle 3811Michelle 3812


Como chegar.

O ferry sai do China Ferry Terminal em Tsim Sha Tsui chamado Shun Tak. É um prédio com vidros dourados, fica perto da Chungking Mansions.

Existem duas companhias de Ferry que levam até Macau. A Turbo Jet (recomendo)que tem mais horários de saídas e a  Cotai water Jet. Os preços são os mesmos. Atenção não esqueça os passaportes, são países diferentes apesar de serem China.

Fique atento ao porto de embarque na hora de voltar para Hong Kong pois Macau possui dois portos, um em Macau Ferry Terminal e a outra na ilha de Taipa onde ficam os cassinos.

Na volta para Hong Kong você precisa preencher o cartão de embarque e desembarque novamente, no Ferry em que pegamos tinha cartões na entrada do barco.


Macau é pequeno e no modo geral tem duas grandes atrações, que são a parte antiga que foi colonizada pelos portugueses e os grandes cassinos na ilha Taipa.

Chegando no porto em Macau pegue o onibus público  de números 3, 3A ou 10 e desça no Largo do Senado. Não esqueça de pegar o city map no porto.

Logo que descer você verá um enorme calçadão de pedras portuguesas. Você vai se sentir em dois mundos. De cara verá lojas vendendo os pastéis de nata português, apesar de não serem tão bons como os de Portugal é gostoso vale a pena.

macau

Depois de descer no Largo do Senado é só bater perna até as ruínas da catedral de São Paulo. Junto as ruínas tem um museu de Macau que conta a história das colonização de Macau pelos portugueses. Todas as explicações em português que ajuda muito nossa vida. O museu fica em um forte a Fortaleza do Monte, e lá de cima dos muros dá pra observar boa parte da cidade.

macau2

Outro local interessante para conhecer é o Forte Guia. A segunda mais importante fortaleza de Macau. Pra chegar lá nós pegamos um táxi já que ninguém conseguiu nos dizer como chegar de ônibus. O táxi foi baratinho porque era perto mas se for a pé, se prepare para encarar uma boa subida pois a fortaleza fica no topo de um monte. Lá também é possível caminhar em meio a floresta em uma trilha toda asfaltada. Para voltar você pode pegar um funicular e depois pegar um ônibus. Nós de lá pegamos um ônibus para o Macau Tower, é só ler na placa nos pontos de qual busão te leva para lá.

DSC00366
Forte Guia

Macau Tower

Uma das grandes atrações de Macau para os aventureiros.

Para subir apenas no observatório custa 135,00 Patacas. O observatório é de 360 graus e possui partes com chão de vidro, podendo ver lá embaixo dos seus 223 metros de altura. O deck de Oservação fica a 58 andares de altura, é possível subir no deck de onde se pula de Bungy Jump mesmo que você não vá pular e de lá observar toda a preparação dos corajosos.

Tem várias atividades pra se fazer além do Bungy Jump como: Skywalk- que é andar do lado de fora da torre amarrado com equipamento de segurança. Skyjump – parecido com o Bungy, mas você descer preso a um cabo de aço. Tower climb- subir até o ponto mais alto da torre do lado de fora. Climbing- escalada em paredão.

Queria muito ter saltado de Bungy Jump, mas não esperava ser tão caro o slato sem filmagem custa $387,00.

A torre fica aberta das 10:00hs ás 21:00hs.

macau 3

Cassinos

A Las Vegas chinesa apesar de ser menor e com menos Cassinos gera renda até 6x mais que a americana. Mas ela só tem menos cassinos por enquanto pois as construções não param e pra 2016 dever ficar prontos pelo menos 3 a 4 grandes cassinos, um deles a famosa The Parisian com a réplica da torre de Paris.

Os grandes cassinos estão sendo construídos na ilha de Taipa. A vista dos cassinos fica espetacularmente bonita a noite. Nó fomos ao Venetian Macao Casino . O Venetian que é o maior casino do mundo é puro luxo, possui um gigante shopping dentro com canais artificias reproduzindo a paisagem de Veneza, dá até pra pagar para passear de barco pelos canais com direito a um barqueiro que canta ópera enquanto rema, além do teto que simulam um dia com céu azul  com nuvens branquinhas.

Bom quanto aos jogos eu realmente não consegui entender como funciona, mas é interessante ficar andando lá dentro e vendo as pessoas tentando a sorte. Cuidado com fotografias muitos não gostam de ser fotografados.

cassinos

Há ônibus no cassino que fazem o transporte dos portos até o cassino e do cassino até os portos gratuitamente.

Macau é interessantíssimo pela sua história. Dá pra fazer em um dia, mas se você quiser passear bem pelos cassinos a noite terá que dormir lá para aproveitar melhor.